22:53h [especial] / volta: o conto de mário


que se ouvia, a descrição do “destemido” se parecia cada vez menos com o mário que saíra em viagem.

os olhos se tornaram negros, as mãos calejadas, os cabelos sujos e desgrenhados, a postura torta, a voz enrouquecida e as atitudes grosseiras demonstravam que mário já não era o mesmo, e este sempre se perguntava o que tinha acontecido à ele…

em um dia chuvoso, mário, já cansado e velho, decidiu que aquela seria sua última luta e que era hora do velho corcel se aposentar… se arrumou, colocou sua armadura, até então impenetrável, fez a barba, cortou o cabelo e penteou-o, passou o seu melhor perfume e foi à sua última luta.

lutou contra um gigante de tamanha altura. lutou bravamente e corajosamente, até que não agüentou mais. emocionado, se ajoelhou, abaixou as armas e as mãos, e se entregou à luta. deixou que o gigante lhe desse um golpe único e fatal, e caiu no chão. ainda teve tempo para chorar e pensar:

– eu vivi, eu viajei, eu lutei, eu fui alguém que nunca imaginei que pudesse ser. eu fui conhecido pelo mundo, e comentado pelos quatro ventos… mas sempre fui só. Sempre estive só. eu vivi só, eu amei só, eu chorei só, e agora, morrerei só.

mas, enquanto chorava, mário ouviu vozes. vozes gritando, clamando, declamando o amor e o orgulho que sentiam dele. mário juntou todas as forças que lhe restava e se virou.  pôde então enxergar aqueles que ele um dia deixou pra trás, ali, ao seu lado. ele percebeu que aqueles que ele achou que o tinham abandonado sempre estiveram com ele. e então ele lembrou… e percebeu que, quando esteve nos navios em alto mar, eles estavam ali, em jangadas mal construídas, acompanhando e acalmando as feras. quando ele esteve nas Índias, eles o seguiram fazendo sombra. quando esteve no deserto, eles trouxeram chuva para aliviar o calor. quando nas savanas, espantaram os mosquitos e alimentaram os animais…

mário chorou. enfim ele percebeu que jamais esteve sozinho, e que, por mais discretos e sigilosos que fossem, aqueles que o amavam nunca desistiriam dele ou de estar ao lado dele.  ele percebeu que o amor que eles tinham continuava vivo e cada vez mais forte.  percebeu que viveram juntos, que amaram juntos, envelheceram juntos, e o mais importante, nunca deixaram de se amar.

enfim, mário pode VOLTAR.

Anúncios

Um Comentário

  1. LipauM

    Adorey a história…

    xD

    espero seu um mário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: