de mim, para o meu passado.


querido Eu,

entre tantos medos e receios, eu te encontrei escondido em um ser frágil, cego e perdido. te observei de longe durante tantos anos e pude aprender com os seus erros e, só assim, conseguir me tornar quem você é hoje.
eu via o quanto você era feliz, mas ao mesmo tempo via o quanto você era ingênuo, inocente e até leviano com a verdade, as coisas e as pessoas.
era estranho ver que para você, a felicidade era ignorar suas necessidades e fazer os outros felizes atendendo às necessidades deles, negligênciando suas próprias vontades, desejos e sentimentos. para mim, era como viver dependendo de minúsculas “doações” de felicidade vinda daqueles que você ajudava. era tão complexo quando absurdo. chegava à ser pertubadora a maneira como você se negava à dar-se um momento de egoísmo ou de vontade própria. eram tantos sacrifícios e eles jamais serão lembrados. hoje você se vê sentado, sozinho, no meio do nada, fingindo ser feliz enquanto seu egoísmo te domina e te torna cruel para com os outros.
eu também notei que você se contentava com tão pouco, só para não precisar lutar por aquilo que realmente queria ou para não precisar admitir, para os outros e, principalmente, para sí próprio, que aquilo não era o suficiente, que sua vontade era maior e jamais caberia naquele contentamento minúsculo que tentava esboçar um sorriso. um altruísmo comovente, mas patético de se viver. talvez você chegue à me julgar idiota, mas agora você precisa de muito para ser feliz
ainda lembro dos seus olhos vibrantes em cada novidade de que você vivia e quão bela era a exaltação dessas coisas. hoje você não é mais assim. cada conquista é apenas uma conquista, comemorada com um sorriso forçado e discreto, talvez um sopro de felicidade no coração, que logo é substituída por uma seriedade, e até frieza, por assim dizer, que vem te dominando à cada dia mais. é como se você estivesse conquistando degraus nessa escada tão íngrime apenas por conquistar, para não se deixar cair ou fracassar.
sinto muito que você tenha mudado tanto de antes para quem somos hoje. se eu disser que não sinto saudade, estarei mentindo, mas também se eu disser que quero voltar à ser como você, eu estaria mentindo mais ainda. apenas me nego à regredir. talvez quando você for eu, você entenda.

saudades imensas de você.
do seu Eu presente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s