Do jeito que era pra ter sido.


Durante toda a minha vida eu acreditei que o amor fosse feito de cavalos brancos, torres impenetráveis, maçãs envenenadas ou até de sapos sendo beijados por lindas princesas. Pois é, no auge dos meus vinte e dois anos eu descobri que o amor é muito mais do que lindas fábulas ou lendas. No meio de minha louca vida, eu, que até então era um menino, descobri que o amor nada mais é do que buscar os olhos do outro, o amor é se sentir vulnerável e não ligar pra isso. O amor é perceber que o mais pesado dos cristais pode ser leve como uma pluma se houver alguém para te ajudar a segurar.
Pois é, quem diria?! A vida é um grande tabuleiro e vive jogando os dados e nós, peças coloridas e vivas, não sabemos onde vamos parar.
E, por mais incrível e por mais inocente que pareça, o menino que descobriu ser o amor mais que uma linda fábula, na verdade descobriu estar vivendo uma fábula, estar escrevendo uma fábula…

É… Eu nunca fui tão feliz quanto eu estou sendo agora. Okay, eu fico vendo que minha vida continua a mesma coisa na faculdade, no trabalho e etc., mas tem algo que me puxa pra cima, que me faz levantar, que me tira do chão e, ao mesmo tempo, faz tudo ser tão real que eu até paro de respirar.
E é justamente o amor que faz isso tudo comigo. É o amor quem me faz sorrir quando eu estou triste, é o amor quem me faz ter ânimo quando eu penso em desistir. É o amor quem faz meu coração bater quando ele resolve parar.
Eu não sei que diabos o destino fez comigo ou que peça ele me pregou quando eu vim parar nesse lugar e me deixei ser tomado por esse sentimento, mas eu tenho certeza de que se ele queria me ensinar alguma lição, eu aprendi… Que é viver e se deixar ser levado pelo que meu coração pede. E acreditem, deixar meu coração me guiar era uma coisa que eu nunca mais tinha feito ou me deixei fazer.
E aí o amor apareceu, de repente, na minha frente, e eu fiquei sem reação. Meu coração gritou que era hora de ele ser solto e eu, mesmo a contra-gosto, deixei que ele tomasse minha frente e guiasse minhas ações. No começo eu fiquei preocupado, afinal meu coração não sabe muito como agir, mas agora eu tenho a plena certeza de que não me arrependo de nada que eu tenha feito desde então até hoje, porque tudo isso valeu a pena para mim, que estava frio como gelo, e agora estou a derreter e sentir o calor de algo que há muito eu não me permitia sentir.
Talvez isso tudo que eu esteja falando seja bobagem ou talvez estejam rindo e achando graça agora, mas eu queria dizer isso e não sabia como. Graças à Deus eu tenho um pouquinho, muito de leve, o dom das palavras e posso escrever isso, se não eu acho que ficaria louco se não pudesse colocar pra fora o que, em outras palavras, é o mesmo que dizer o quanto é importante pra mim e para o que eu estou me tornando. e, resumindo mais ainda… É o mesmo que dizer que meu coração agora gosta como nunca gostou de ninguém. Eu achava que amei antes. Apenas achava. E só achava, porque tudo que eu possa ter sentido por qualquer pessoa antes não chega aos pés do que eu sinto agora.

Pois é… As pessoas vivem dizendo que eu escrevo bem e etc, mas eu não escrevo bem. Eu sou frágil, assim como meu talento.
Um bom escritor, escreve em qualquer situação e eu, reles mortal, só escrevo quando meu coração manda, esse sim o grande autor das palavras que eu eternizo nos olhos dos que lêem.

Anúncios

Um Comentário

  1. Seu texto, fez total diferença no meu domingo, na minha vida talvez. Espero que seu coração sempre o mande escrever.
    Obrigado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: