Uma Carta de “Até Breve”.


Dois anos foi o tempo que levei imerso nessa história de respeito, aceitação, compreensão, carinho e dedicação. Dois anos. Esse foi o tempo que levei para viver a mais bela história de amor que meu coração, pode coitado, já pode ver. E, no instante em que eu atravessar aqueles portões de ferro, essa história, por um tempo, ou para a eternidade, terá se acabado. Não que seja exatamente o fim, o fim de tudo, mas que será o fim de uma era e um novo começo dessa história.

Eu escrevi alguns textos, vários textos, admito, que nomeei de diversas maneiras. Mas nada me foi o suficiente. Nada compreendia o que eu queria dizer. Nenhum dos textos ou das nomeações eram capazes de prever ou rotular o que viria a ser isto aqui. Nenhum deles era capaz de mostrar para vocês as lagrimas que caem de meu rosto ao tentar escrever, nenhum destes textos seria capaz de vos contar como minhas mãos tremem e insistem em não responderem os meus comandos. Nada que eu escrevesse seria capaz de juntar cada caco do meu coração agora despedaçado e consertar, juntar e colocar no lugar.

Então, é isso. Enquanto eu pude batalhar, eu batalhei. Enquanto eu tive força, eu lutei. Enquanto eu estive por perto, nenhum de vocês passou desapercebido (mesmo que eu nada tenha falado).

Então eu agradeço. Agradeço por cada sorriso, por cada lágrima, por cada abraço. Agradeço por terem me deixado entrar na vida de vocês, por terem me deixado saber de suas dores, seus medos, suas vontades e suas conquistas. Agradeço por terem me segurado quando nem sabiam que eu iria cair, por terem me dado esperança quando eu quis desistir. Por terem me feito rocha quando eu me senti cristal. Agradeço por terem me feito sonhar quando tudo em minha volta tinha virado pesadelo.

Agradeço por terem me mostrado que eu podia ser muito mais do que eu sonhei um dia e achei que pudesse. Agradeço por terem me feito Pedagogo. Por terem me dado a chance de ser extremamente feliz no que escolhi para mim. Agradeço por terem me contado, entre gritos e sussurros, entre indas e vindas, entre cada palavra dita ou não diga, que dois anos atrás, quando eu entrei por estes portões, eu era um menino e agora, dois anos depois, eu sairei por estes mesmo portões, um homem começando a viver a vida como ela deve ser vivida, um homem começando a realizar os sonhos que teve um dia e começando a pensar em novos sonhos.

Vocês foram incríveis e eu queria fazer um último pedido antes de partir (que drama!).

Quero pedir que respeitem, quem quer que esteja com vocês. Seja quem for, homem ou mulher, mais velho ou mais novo. Respeito. Respeitem.
Aceitem. As pessoas, as diferenças, as idéias, as novidades. Aceitem tudo o que de bom puder lhe trazer. Aceitem que as pessoas sejam diferentes de vocês e que, mesmo muito diferentes, merecem os seus melhores sorrisos e melhores abraços.

Peço que amem muito. Amem seu colega, sua colega, amem seu amigo, sua amiga, seu namorado, sua namorada. Que amem um estranho ou um temporário que por vocês passaram. Respeitem, aceitem e amem as pessoas assim como me respeitaram, aceitaram e amaram à mim.
Peço que estudem o máximo que puderem, que continuem dando o máximo de si, para que possam continuar trilhando os melhores caminhos que a vida possa oferecer à vocês.

Peço-lhes que se permitam viver ao máximo e sempre. Quando tiverem de dançar, que dancem. Quando tiverem de pular, pulem bem alto. Quando tiverem de se jogar, se impulsionem. Quando tiverem de amar, se entreguem. Quando tiverem de confiar, que seja de olhos fechados. Quando tiverem de abraçar, que abracem até que os braços não mais se abram. E sejam felizes. Até o fim.

Até breve,

Do mais lindo estagiário que o IFBA já teve,
Diogo Moraes, O Digno.

 

Anúncios

Um Comentário

  1. Você sabe quem é

    Será muito difícil chegar no IFBA no dia 12/11/2012, uma segunda-feira, não sei como será esse dia, mas só consigo imaginar, e imagino desta forma: Você não estará lá.
    Isso é a pior coisa que eu poderia imaginar, Diogo eu tenho um apreço imenso por você, você é uma das poucas pessoas que eu tenho orgulho de chamar de “amigo”, você sempre esteve ali, presente, do instante que eu poderia ficar sozinho, até o momento que eu mais precisei, você sempre me ajudou, me estendeu a mão, sempre com um sorriso no rosto, me mostrou aquilo que eu não conhecia, me ajudou na minha primeira paixão, sempre ouviu o que eu disse, até mesmo as besteiras, que eram muitas, me ajudou a formular ideias, me encorajou a lutar pelo que era certo, ou eu considerava, e o mais importante, nunca me abandonou, eu não consigo expressar o que eu sinto por você, eu poderia estar triste, mas quando eu penso em você, eu só consigo lembrar de coisas boas, me sinto feliz, eu nunca irei te esquecer e nunca irei abandonar você, e se você pensar em se afastar, eu irei te buscar, seu sacana, eu te amo, nunca se esqueça disso. E mais uma coisa, volte logo, eu estarei esperando por você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: